tipos de metodologias ativas

Os diferentes tipos de metodologias ativas em sala de aula

Os diferentes tipos de metodologias ativas existentes são fundamentais para o aprimoramento do ensino em sala de aula. Afinal, por meio dos métodos aplicados neste conceito, abrem-se várias janelas de oportunidade de estudos que promovem o melhor desenvolvimento do estudante, bem como a sua autonomia dentro do universo de aprendizagem.

O intuito da metodologia ativa é, portanto, posicionar os estudantes como protagonistas da sala de aula, tornando-os mais participativos e empenhados a buscar referências externas e posicionarem-se, de modo eficiente, junto aos seus professores. O que fortalece, por consequência, a independência do corpo discente, bem como o engajamento da classe como um todo.

Os professores também são beneficiados com as metodologias, pois as aulas deixam de ser apenas expositivas, para serem muito mais proveitosas e colaborativas. Assim, o desempenho dos estudantes melhora e os professores podem trazer novas práticas e metodologias para a sala de aula. A seguir, descubra tudo sobre os diferentes tipos de metodologias ativas em sala de aula e veja os principais impactos na educação brasileira.

Mas afinal, o que são metodologias ativas?

A metodologia ativa diz respeito, principalmente, como citamos acima, ao fato de que o estudante deve ser o maior protagonista do processo de aprendizagem para que, assim, a comunidade escolar amplie a capacidade de absorção de conteúdos que gerem mais autonomia e engajamento e deixem de investir somente em aulas expositivas e que pouco agregam ao contexto atual dos estudantes brasileiros.

O uso de metodologias ativas na educação brasileira

Através da implementação das metodologias ativas torna-se viável, para o corpo docente, utilizar ferramentas tecnológicas e/ou artesanais para direcionar melhor o aprendizado, de acordo com a vivência de cada estudante. Tornando assim, a aprendizagem muito mais colaborativa e proveitosa para todos.

Através das metodologias ativas é possível, inclusive, capacitar os estudantes para os diversos contratempos do mundo moderno ou do seu futuro espaço de ocupação, deixando o aprendizado menos teórico e mais focado no que o estudante realmente usará em seu cotidiano. 

Nesta percepção, técnicas como, por exemplo, o uso expositivo de vídeos, aplicação de feedbacks ou criação de gráficos podem ser vistas como metodologias ágeis para estimular a iniciativa e o conhecimento funcional dos estudantes. As metodologias ativas são, na maioria dos casos, planejadas com o uso de recursos tecnológicos que estimulam diferentes formas de aprendizado e permitem que os professores conheçam o perfil de cada um dos estudantes do grupo.

Os diferentes tipos de metodologias ativas em sala de aula

As metodologias ativas têm como objetivo, portanto, modificar, de modo geral, o conceito da conexão entre aluno e professor, por meio da implementação de mudanças em práticas pedagógicas de sala de aula e da motivação para que os estudantes desenvolvam um papel mais ativo na aprendizagem. Veja, a seguir, algumas das metodologias ativas mais populares:

1 – Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL): a PBL, mais conhecida como Problem Based Learning, equivale a estruturação do conhecimento a partir de um desentendimento intelectual em um grupo sobre um problema em específico. Como quando o aluno estuda sobre determinado tema antes de ter a aula, anota as suas principais dúvidas e posiciona-se a respeito do tema, frente aos seus colegas. O que gera, por consequência, uma discussão saudável sobre o problema, a partir dos diferentes pontos de vista.

2 – Estudo de Caso: o Estudo de Caso tem início com a exposição de uma situação real para os alunos refletirem em sala. Esse método tem como objetivo ajudar os alunos a interpretarem e desvendarem circunstâncias complexas, por meio do desenvolvimento de um conhecimento mais prático, o que torna o processo mais interativo e vultoso.

3 – Sala de Aula Invertida: a Sala de Aula Invertida, também chamada de Flipped classroom, propõe que os estudantes estudem o conteúdo antes da aula para que, quando ela de fato tenha início, possam reunir-se em grupos para discutir, de maneira pacífica, sobre os temas abordados e resolvam os exercícios com o auxílio do professor.

4 – Gamificação: a gamificação trata-se, basicamente, do método de aprendizagem em que se utilizam jogos na sala de aula como, por exemplo, Sudoku, Quizzes, Bingo e RPGs, para que os alunos possam se divertir enquanto estudam sobre o conteúdo abordado.

5 – Hands On: o Hands On ou Mão na Massa, como é popularmente conhecido, é o método que serve de estímulo para que tanto os professores quanto os alunos sejam mais proativos e coloquem mais a mão na massa durante as aulas. Muitas instituições de ensino já utilizam esse método por meio, por exemplo, da construção de robôs e de demais protótipos.

6 – Aprendizagem baseada em projetos(PBL): a PBL ou mais conhecida como project-based learning, concede aos estudantes o direito de construírem seus conhecimentos para colaborar com algo, através da solução de problemas. Deste modo, o aluno é obrigado a se esforçar para aprender a investigar e construir por si mesmo, podendo adicionar algumas tecnologias ao seu processo de aprendizagem.

7 – Storytelling: o Storytelling, que em português significa narrativa, é uma das formas mais antigas de aprendizado e que consiste em você contar uma história para despertar o interesse do seu público alvo, de modo a prender a atenção dos estudantes, e assim estimular os níveis de ações cerebrais para um aprendizado mais intenso e colaborativo.

8 – Aprendizagem em Pares: o Aprendizado em Pares consiste, obviamente, em trabalhar/estudar ao lado de um/uma colega sobre o mesmo assunto. Assim, se o colega não entender o conteúdo abordado, o outro tenta explicar e vice-versa, o que facilita o aprendizado de ambos.

9 – Realização de seminários e discussões: a realização de seminários e eventos de discussão, faz com que o aluno tenha uma nova visão sobre um dado tema, além de apontar novas oportunidades e discutir sobre outras soluções possíveis para resolver algum problema. Os seminários despertam o interesse dos estudantes para que posicionem-se sobre determinado tema e estimulem, inclusive, a discussão sadia em sala de aula.

A Future Education e o seu papel em sala de aula

Somos uma escola digital focada em habilidades relacionadas ao futuro da aprendizagem. Alcançamos este objetivo oferecendo certificações e cursos que ajudam as pessoas e as organizações a usarem a aprendizagem para habilitar novas estratégias, capacidades e narrativas de crescimento que sustentem o desenvolvimento de sociedades mais justas, igualitárias e prósperas.

Dentre as opções de cursos para aprimorar a aprendizagem digital dos seus estudantes, a Future Education oferece o “Catalisador de Aprendizagem”, no qual você aprende a conduzir uma mudança de mentalidade do ensino para a aprendizagem e o “Facilitador de Aprendizagem Digital”, onde você desenvolve novas habilidades para ministrar aula e facilitar processos de aprendizagem.

Estão disponíveis também os cursos de “Especialista em Aprendizagem Digital”, no qual você aprende a desenhar processos de ensino-aprendizagem eficazes e com garantia da qualidade da aprendizagem e, por fim, o “Gestor de Ensino e Aprendizagem”, que irá te auxiliar a aprender novas habilidades para gerenciar equipes de ensino-aprendizagem.

Aprenda a garantir o aprendizado centrado no aluno, utilizando metodologias ativas, novas estratégias, tecnologias e métodos de ensino-aprendizagem inovadores. Acesse o site e fale com um dos nossos consultores!

Leave a Comment