Como estruturar uma cultura e um time de produto educacional

Em suma, as culturas estão enraizadas em asseverações subconscientes não-declaradas, que podem ser percebidas através de sinais explícitos que encontramos em processos, na forma como as pessoas se relacionam e se comportam e no meio corporativo, o termo cultura aparece com frequência, nos dias de hoje e isso vem ganhando um grande destaque associado a área específica de um produto.

Na área de produto educacional, a maior dúvida que surge é em relação ao funcionamento da cultura de uma empresa e sobre como tornar um ambiente agradável para que todos possam atuar de maneira mais leve, podendo contribuir para a geração de novas ideias, etc.

Para que possamos estabelecer uma cultura forte de produto educacional, no qual a instituição possa se destacar no seu desenvolvimento e estruturação ao lado de uma boa e bem-sucedida equipe, é necessário muito mais do que a contratação de novos gerentes de produto, é preciso uma consideração macro de como funciona tudo naquele ambiente, possibilitando uma noção real sobre o engajamento do seu time entre si, para a partir disso, resolver como operar de forma eficiente.

Sabemos que a principal maneira de se obter sucesso na estruturação de uma cultura em um time de produto educacional está relacionada ao fato da empresa oferecer uma estrutura ao seu time, à medida que eles precisam, pois dessa forma, você irá garantir que as funções e habilidades sejam divididas da maneira mais eficaz possível.

Veja, a seguir, o que é e como estruturar uma cultura e um time de produto educacional!

Mas afinal, o que é cultura de um produto?

A cultura de produto é um conjunto de hábitos, valores e crenças que favorecem o conceito de produto. Ela se caracteriza pela formação de times autônomos, orientados a alcançar objetivos de negócios através da criação ou evolução de algum produto. Ela é fundamental para a criação de produtos digitais alinhados à modernidade, que atendam às necessidades dos usuários e que entreguem valor para os clientes.

Enquanto cultura, ela tende a se propagar e deve impactar a mentalidade dos integrantes do time, mas também os artefatos, processos e ferramentas da empresa. Por exemplo, a cultura de produto deve refletir o modo como as pessoas são reconhecidas, como o sucesso é medido, entre outras coisas.

E para que esse entendimento seja facilitado, é preciso que tudo seja muito bem projetado e estruturado, sendo assim, podemos dizer que nesse sentido, uma cultura de produto se difere de uma cultura de projetos ou até de uma cultura de TI. Portanto, na cultura de produto é extremamente necessário que todos estejam abertos ao aprendizado e as mudanças constantes no ambiente de trabalho, para encarar a diversidade de hipóteses que surgem durante todo o processo.

Qual a importância da cultura de um produto educacional?

Antes de criar um produto educacional, é muito importante saber quais serão os impactos que ele terá nos seus usuários. Por isso, as experiências destes com o produto devem ser bastante trabalhadas, visando sempre as suas perspectivas, pois a importância dos impactos é justamente o que irá possibilitar que sejam realizadas melhorias para as pessoas que irão utilizar o produto, evitando que somente seja encaminhada uma solução sem nenhum tipo de teste mostrando sua eficiência.

E para garantir uma estruturação da cultura, todos os envolvidos precisam estar alinhados e atentos ao seu propósito, porque não se trata somente de criar um design, mas sim, deixar claro que uma verdadeira cultura de produto só vai existir se todos os integrantes possuírem o mesmo senso de dono, pois ninguém é mais interessado no sucesso do produto do que o seu próprio criador.

A estruturação de um time na cultura do produto é tão importante quanto o produto, porque pessoas que têm a mesma visão, se importam tanto quanto quem constrói, além de colaborar. Pois só tratando com a mesma relevância, é que as definições poderão ter o auxílio e contar com as melhorias que precisam, para a visão de futuro do produto, sem deixar de lado a proatividade a partir da antecipação no momento de resolver problemas, contribuindo para a qualidade e o comprometimento de todos.

Como estruturar uma cultura e um time de produto educacional?

Enxergar o tipo de cultura de sua organização antes de estruturar tudo, é essencial para saber por quais caminhos seguir e como obter o sucesso planejado, dessa forma, é importante perceber a maneira como as pessoas se relacionam, como o processo é desenhado, além da mensuração do sucesso, através da análise do ambiente como um todo, para que assim, se saiba qual de fato será a cultura do seu time e como irão trabalhar nela, ou seja, quais as necessidades reais que existem nela para transformá-la.

Sabendo disso, você deve seguir os seguintes passos para construir seu time de produto:

1 – Para a estruturação, é preciso ter um pelotão dentro da organização, ou como dito em inglês, um Squad. Ou seja, equipes multidisciplinares, colaboradores de setores diferentes trabalhando juntos com um mesmo propósito, onde seu principal diferencial é que cada time possui autonomia para tomar decisões com relação ao problema que pretendem solucionar, claro que alinhados às metas da organização.

2 – Os membros do time precisam de habilidades, ou como no termo em inglês, as chamadas “skills”, ou seja, capacidades e habilidades para resolverem problemas, sendo assim, concretizar com rapidez e eficiência suas metas para atingir os objetivos desejados. 

3 – Mindset: conceito que procura o entendimento de habilidade psicológica de um indivíduo que dá prioridade a pensamentos e exemplos de comportamentos no momento de desenvolver e oferecer uma nova abordagem em um mindset, ou seja, na configuração da mente. Isso significa ter uma visão individual, que se empenha em entregar o valor real para o usuário do produto e não somente entregar feature dentro da empresa. 

4 – Sentimento de ownership: A responsabilidade do time se encontra no valor entregue, de forma a preservar o sentimento em que todos se sintam donos, para que assim, seja maximizada toda a dedicação dos colaboradores, sempre alinhando os interesses e facilitando a distribuição das atividades, para que todos construam juntos com autonomia. 

5 – Menos dependência entre squads: Evitar ao máximo qualquer dependência para que a autonomia seja fortalecida com mais eficiência, além do que o squad tem como dever, além de definir a priorização do que irá gerar mais impacto, se necessário for. Pois as funções dos squads podem mudar a qualquer hora, dependendo de qual momento a empresa se encontra. 

6 – O centro de tudo deve sempre ser o cliente, ou seja, sempre partir das  necessidades do cliente, trabalhando na dedicação na tomada de decisão gerando melhorias tanto para o cliente, quanto para a empresa, só assim, irão manter o cliente sempre satisfeito, lhes oferecendo uma melhor experiência, com um melhor atendimento e sem nunca deixá-lo na mão.

7 – Reagir às mudanças, e seguir o plano: é importante estar aberto às mudanças, sempre questionando o modelo de negócio, para que não sejam disruptivos, pois eles não foram testados antes, por isso, é importante sua validação. Além do mais, a mudança traz aprendizado e diversidade de maneira importante, em razão de que as pessoas que possuem o mesmo background acabam achando as mesmas soluções, mesmo que não sejam as melhores.

8 – Saiba como balancear decisões de longo e curto prazo: procure sempre valorizar a viabilidade de ganho no curto e longo prazo, logo, você estará mais preparado para determinados problemas que possam surgir. 

A Future Education e o seu papel enquanto escola digital com foco na aprendizagem digital

Os objetivos de aprendizagem são declarações claras e válidas do que os docentes pretendem que os seus alunos aprendam e sejam capazes de fazer no final de uma sequência de aprendizagem e tem a clara função de orientar o ensino, a aprendizagem e a avaliação. 

Assim, seja qual for o método utilizado para definir os objetivos de aprendizagem do seu curso, é importante que eles tenham sido alinhados com os objetivos do seu negócio e que sejam claros o suficiente para toda a organização.

A Future Education é uma escola digital focada em habilidades relacionadas ao futuro da aprendizagem, alcançamos este objetivo oferecendo certificações e cursos que ajudam as pessoas e as organizações a utilizarem a aprendizagem digital para habilitar novas estratégias, capacidades e narrativas de crescimento que sustentem o desenvolvimento de sociedades mais justas, igualitárias e prósperas.

Através dos conteúdos didáticos disponibilizados de forma online, a retomada dos temas trabalhados em sala de aula é otimizada e o fluxo fica melhor e muito mais dinâmico. A tecnologia deve ser entendida como aliada dos processos em qualquer estágio da aprendizagem e estando ou não dentro de um contexto de pandemia. 

Aprenda a garantir o aprendizado centrado no aluno, utilizando metodologias ativas, novas estratégias, tecnologias e métodos de ensino-aprendizagem inovadores. Acesse o site e fale com um dos nossos consultores!

Leave a Comment