A importância da educação empreendedora nas escolas

O conceito de educação empreendedora surgiu no século XVII, pelo economista francês Jean-Baptiste Say, mas ganhou destaque a partir do meio século 20, quando outro economista, o americano Joseph Schumpeter, associou o empreendedor à inovação e ao desenvolvimento econômico. Mais de 250 anos depois, ainda estamos longe de uma definição única de empreendedorismo. 

Porém, esse tipo de educação tem como intuito inspirar nos alunos a vontade de empreender. Esse conceito está relacionado a uma ideia inovadora no mercado de ensino, que se propõe a estimular o desenvolvimento de habilidades que são comuns ao empreendedor. Com isso, passando a imagem de que empreender é um processo constante de aprendizagem.

De acordo com um relatório recente divulgado pelo Global Entrepreneurship Monitor (GEM), o Brasil ocupa a 56ª posição em uma lista de 65 países quando se trata de educação empreendedora. Isso significa que a maioria dos jovens no ambiente escolar não aprende sobre empreendedorismo, isso inclui habilidades de negócio e oportunidades profissionais que isso pode trazer no futuro.

Além disso, esses jovens não possuem fácil acesso a essas informações depois, sendo assim, ainda segundo o GEM, o Brasil está em 52º lugar em educação empreendedora após a escola. Rankings que são ocupados pelos Países Baixos em primeira posição.

Por isso, se torna extremamente importante contribuir com a formação de pessoas capazes de encontrar soluções para os problemas sociais do empreendedorismo na escola. Essa prática é baseada na apresentação de conteúdos e demandas que irão exigir que os alunos disponham de um comportamento proativo, para que possam vencer as dificuldades.

Ou seja, irão estimular os alunos a desenvolver ações que os possibilitem alcançar objetivos e a trabalhar com planejamento e metas. Assim, eles se tornarão pessoas mais preparadas para enfrentar cenários que exigem senso crítico e capacidade de tomar decisões de forma rápida e precisa.

Mas afinal, o que a educação empreendedora nos traz de positivo?

Hoje em dia, as escolas não devem ser apenas mais um local onde se é transmitido conteúdo aos alunos. A escola deve ser onde é mostrado que os temas abordados em sala de aula podem ser colocados em prática no seu dia a dia e para a construção do seu futuro. Esse é um dos princípios da educação empreendedora, que tem como meta aprimorar habilidades para os jovens terem mais confiança para vencer suas dificuldades.

Uma das principais características que esse modelo educacional apresenta, é o intuito de tornar o aluno a peça-chave no seu processo de aprendizagem. Ele passa a pesquisar dados, analisar cenários e a planejar ações para estruturar projetos que podem ser desenvolvidos tanto dentro da escola, quanto no seu futuro fora dali. Iniciativa que também é válida para os alunos estarem mais engajados com a proposta pedagógica e assimilarem melhor os ensinamentos.

Atualmente, as startups estão cada vez mais presentes no mercado e um dos principais motivos para isso, é a capacidade dos gestores trabalharem com inovação e de visualizar soluções que modificam o dia a dia do seu público.

Ou seja, o empreendedorismo nas escolas é a peça chave para que haja cada vez mais empresas com foco em inovação e resolução de problemas no mercado de trabalho. 

Por que devemos ensinar desde cedo aos alunos sobre os impactos financeiros e o empreendedorismo dentro da educação empreendedora? 

O aluno que tem contato com o empreendedorismo desde cedo, apresenta uma série de vantagens com relação ao seu futuro. Listamos a seguir, algumas das mais importantes:

  • Independência: O conteúdo abordado proporciona aos alunos uma familiaridade com problemas que podem ser resolvidos de forma individual ou coletiva. Isso favorece o desenvolvimento da autonomia para enfrentar novos cenários e desafios.
  • Conhecimento de sua capacidade: À medida que o aluno participa de ações voltadas para o desenvolvimento de projetos, mais simples fica para o estudante identificar os pontos fortes e os que precisam ser melhorados. Conhecer as próprias potencialidades é um fator importante para atingir um desempenho mais expressivo. 
  • Senso de responsabilidade: Defina uma tarefa importante que cada aluno deve ser responsável, na hora de concretizar um projeto. Dessa forma, ele irá assumir um papel que deverá ser executado de maneira correta. Sendo assim, essa postura gerará mais comprometimento, o que é fundamental para amadurecer e assumir riscos.
  • Estímulo às ideias criativas: Colocar o aluno em uma situação que ele deva encontrar a solução de um problema, fará com que ele saia de sua zona de conforto e, para isso, será fundamental avaliar como é possível criar algo novo para resolver uma demanda de forma inteligente.
  • Desenvolvimento de liderança: O trabalho em grupo é uma excelente maneira de identificar novos líderes, pessoas capazes de conduzir um time a um resultados acima das expectativas. Enfrentar desafios permite que o estudante tenha mais foco em articular ações e reunir pessoas, isso mostra que ele tem um dos princípios básicos de uma boa liderança.
  • Aumento da autoconfiança: Ao participar de projetos e superar as adversidades, o aluno passa a confiar mais em si mesmo, se sentindo capaz de melhorar a cada dia e de encontrar soluções para os problemas do dia a dia. Isso se torna um fator primordial para o aumento da autoestima do mesmo.
  • Comprometimento com a sociedade: Ajudar a construir um mundo melhor é um ótimo motivo para um estudante estar mais comprometido com os valores sociais. Isso é um fator que incentiva os alunos a estarem envolvidos em projetos inovadores e com foco em proporcionar mais qualidade de vida a todos.

Dicas para implementar a educação empreendedora dentro de sua escola

A educação empreendedora é a chave para a melhoria no cenário da educação e construção de projetos no país. Porém, ela não irá apresentar resultados altamente positivos, se não for implantada junto a metodologias que irão estimular o senso crítico e o desenvolvimento de habilidades dos estudantes.

Separei a seguir, algumas das principais metodologias a serem implantadas para que a educação empreendedora obtenha sucesso na sua escola:

1- Design thinking:

Seu principal objetivo é fazer com que os estudantes sejam orientados a visualizar alternativas efetivas, para que possam vencer os problemas. Para isso, adota uma abordagem criativa, que ajuda a analisar diversos cenários.

Durante as etapas, esse processo incentiva as pessoas a tomarem decisões. Para isso, são realizadas pesquisas sobre o problema e elaboradas hipóteses que passam por testes. Esse trabalho ajuda na criação de protótipos da solução a ser implementada. No design thinking, os problemas são apresentados para que seja construída coletivamente uma resolução;

2- Gamificação:

Através de jogos responsáveis por reter a atenção dos alunos e contribuir para um aprendizado mais consistente, são utilizados para promover competições e priorizar a socialização por meio do trabalho em equipe. 

Além disso, os estudantes recebem premiações de acordo com o desempenho apresentado. Cada jogo apresentará um desafio diferente, que irá favorecer o desenvolvimento de características vitais para os empreendedores, como criatividade, persistência e resiliência;

3- Aprendizagem baseada em projetos:

Essa metodologia aposta no aprendizado por meio da resolução de demandas ou de desafios práticos. Inicialmente, é apresentada uma questão que exige dos alunos uma grande demanda de pesquisa.

Após a realização dessas pesquisas, é necessário que sejam elaboradas hipóteses, buscando meios para aplicar a solução e apresentá-la. Esse modelo de aprendizagem se destaca por favorecer o trabalho em equipe, estimular o pensamento crítico, fomentar o raciocínio lógico e priorizar o diálogo;

4- Aprendizagem invertida:

O empreendedorismo na escola também é trabalhado com essa metodologia. Através dela, os alunos estudam as disciplinas em casa por meio de plataformas. Chegando até a escola para tirar dúvidas e debater os conteúdos com professores e colegas.

Esse método se diferencia do processo tradicional, onde as matérias são apresentadas inicialmente em sala. A aprendizagem invertida tem como objetivo fazer com que os alunos se tornem mais participativos no processo de aprendizagem e habilitados para desenvolver projetos e soluções.

A Future Education e o seu papel enquanto escola digital com foco na aprendizagem digital

Os objetivos de aprendizagem são declarações claras e válidas do que os docentes pretendem que os seus alunos aprendam e sejam capazes de fazer no final de uma sequência de aprendizagem e tem a clara função de orientar o ensino, a aprendizagem e a avaliação. 

Assim, seja qual for o método utilizado para definir os objetivos de aprendizagem do seu curso, é importante que eles tenham sido alinhados com os objetivos do seu negócio e que sejam claros o suficiente para toda a organização.

A Future Education é uma escola digital focada em habilidades relacionadas ao futuro da aprendizagem, alcançamos este objetivo oferecendo certificações e cursos que ajudam as pessoas e as organizações a utilizarem a aprendizagem digital para habilitar novas estratégias, capacidades e narrativas de crescimento que sustentem o desenvolvimento de sociedades mais justas, igualitárias e prósperas.

Através dos conteúdos didáticos disponibilizados de forma online, a retomada dos temas trabalhados em sala de aula é otimizada e o fluxo fica melhor e muito mais dinâmico. A tecnologia deve ser entendida como aliada dos processos em qualquer estágio da aprendizagem e estando ou não dentro de um contexto de pandemia. 

Aprendendo a garantir o aprendizado centrado no aluno, utilizando metodologias ativas, novas estratégias, tecnologias e métodos de ensino-aprendizagem inovadores. Acesse o site e fale com um dos nossos consultores!

Leave a Comment